Tradução transcultural do Minnesota Handwriting Assessment para o contexto brasileiro/Transcultural translation of the Minnesota Handwriting Assessment for the Brazilian context

Autores

  • Adriane Guzman Pasculli Instituto de Biociências, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho – UNESP/Rio Claro
  • Cynthia Yukiko Hiraga Instituto de Biociências, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho – UNESP/Rio Claro
  • Ana Maria Pellegrini Instituto de Biociências, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho – UNESP/Rio Claro

DOI:

https://doi.org/10.4322/0104-4931.ctoAO0728

Resumo

Introdução: A escrita é uma habilidade manual complexa e sua avaliação é um dos desafios encontrados pelos professores que atuam no processo de alfabetização. Objetivo: O presente estudo teve como objetivo validar e adaptar transculturalmente, para o contexto brasileiro, o Minnesota Handwriting Assessment (MHA), instrumento elaborado por Judith Reisman. Método: Participaram do estudo 448 crianças matriculadas nos 2º e 3º anos do sistema público de ensino e duas professoras de escola que serviram como examinadoras. O método de validação utilizado foi o “Cross-Cultural Adaptation”, e tal validação foi feita no estilo de escrita com letra bastão. Resultados: Em um primeiro momento, foi verificada a equivalência de conceitos, da semântica e a idiomática resultantes da tradução e retradução do MHA. A seguir, professoras aplicaram o instrumento traduzido e adaptado para a língua portuguesa. O coeficiente de correlação intraclasse (CCI) para fidedignidade teste-reteste foi 0,92 para legibilidade, 0,90 para forma, 0,99 para alinhamento e 0,89 para espaçamento, sendo significativo em todas as categorias. Com relação à fidedignidade entre avaliadores, o CCI foi 0,89 para legibilidade, 0,99 para alinhamento, 0,98 para tamanho e 0,90 para espaçamento, alcançando nível de significância em todas estas categorias. O CCI da categoria forma foi 0,53, não atingindo nível de significância, resultado esse que pode estar relacionado à variabilidade do padrão da escrita manual apresentado pelas crianças brasileiras. Conclusão: A adaptação transcultural proposta e os resultados satisfatórios da validação do instrumento de avaliação da escrita em letra de bastão permite seu uso, com restrição da forma, no Sistema Educacional Brasileiro.

Biografia do Autor

Adriane Guzman Pasculli, Instituto de Biociências, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho – UNESP/Rio Claro

Mestre pelo programa de Pós-graduação em Desenvolvimento Humano e Tecnologias.

Cynthia Yukiko Hiraga, Instituto de Biociências, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho – UNESP/Rio Claro

Professora Assistente Doutor, Departamento de Educação Física

Ana Maria Pellegrini, Instituto de Biociências, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho – UNESP/Rio Claro

Professora Assistente Doutor, Departamento de Educação Física

Publicado

2017-03-30

Como Citar

Pasculli, A. G., Hiraga, C. Y., & Pellegrini, A. M. (2017). Tradução transcultural do Minnesota Handwriting Assessment para o contexto brasileiro/Transcultural translation of the Minnesota Handwriting Assessment for the Brazilian context. Cadernos Brasileiros De Terapia Ocupacional, 25(1), 95–104. https://doi.org/10.4322/0104-4931.ctoAO0728

Edição

Seção

Artigo Original