Terapia Ocupacional e trabalho informal: reflexões para a prática

Autores

Resumo

Introdução: Diante do crescente número de trabalhadores informais no Brasil e com a implementação da “Reforma Trabalhista”, é importante compreender a questão do trabalho informal, apontando desafios para profissões que se dedicam ao cuidado e atenção ao trabalhador, como a Terapia Ocupacional. Objetivo: Discutir a questão do trabalho informal na contemporaneidade e indicar possíveis desdobramentos para a prática da Terapia Ocupacional. Método: Trata-se de um artigo teórico que realizou discussões a partir de documentos legais, dados estatísticos atuais sobre o assunto, estudos que traçaram o panorama histórico da economia informal e estudos clássicos da Terapia Ocupacional no campo do trabalho. Resultados: Apesar das intervenções em Terapia Ocupacional e trabalho terem caminhado para a superação de abordagens estritamente voltadas ao retorno das funções motoras, ainda existem desafios práticos colocados para a profissão. Para além das práticas tradicionalmente realizadas, aponta-se a necessidade de se atuar considerando que a desregulamentação do trabalho acarreta desdobramento para os diversos âmbitos da vida dos trabalhadores. Para que as atuações alcancem o trabalhador informal, é necessário o comprometimento dos profissionais inseridos em dispositivos de todos os pilares da seguridade social (saúde, previdência e assistência social) e do setor da educação. Aponta-se a importância das práticas voltadas ao exercício da sociabilidade, conscientização e informação sobre direitos no sentido da transformação social. Conclusão: Diante da atual conjuntura, é necessário ampliar a atuação da profissão no campo do trabalho para contemplar os trabalhadores informais. Deve-se compreender a realidade desses trabalhadores, os diversos dispositivos que os recebem e as questões econômicas/sociais envolvidas no desenvolvimento desse tipo de trabalho.

Biografia do Autor

Marina Batista Chaves Azevedo de Souza, Universidade Federal de Sergipe - UFSUniversidade Federal de São Carlos - UFSCar

Professora do Curso de Terapia Ocupacional da Universidade de Sergipe (UFS)

Estudante de Doutorado no Programa de Pós Graduação em Terapia Ocupacional da UFSCar (PPGTO UFSCar)

Mestra em Administração e Sociedade pelo Programa de pós graduação em Administração da UFPB (PPGA - UFPB)

Isabela Aparecida de Oliveira Lussi, Universidade Federal de São Carlos - UFSCar

Professora do Departamento de Terapia Ocupacional (DTO) e do Programa de Pós-Graduação em Terapia Ocupacional (PPGTO) da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar)

Doutora em Ciências pelo Programa de Enfermagem Psiquiátrica pela Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (USP).

Publicado

2022-01-18

Como Citar

Souza, M. B. C. A. de, & Lussi, I. A. de O. (2022). Terapia Ocupacional e trabalho informal: reflexões para a prática. Cadernos Brasileiros De Terapia Ocupacional, 30, e2901. Recuperado de https://www.cadernosdeterapiaocupacional.ufscar.br/index.php/cadernos/article/view/2901

Edição

Seção

Artigo Original