Terapia ocupacional em uma clínica pediátrica cardiológica durante a pandemia de COVID-19: relato da experiência de uma residente

Autores

  • Jéssica Tainara de Macêdo Maia Terapeuta Ocupacional, Residente em Atenção à Saúde Cardiovascular, Universidade do Estado do Pará-UEPA, Belém-PA https://orcid.org/0000-0003-0149-4412
  • Débora Ribeiro da Silva Campos Folha Terapeuta Ocupacional, Drª. em Terapia Ocupacional, Professora do departamento de Terapia Ocupacional - DETO UEPA, Belém-PA, Brasil https://orcid.org/0000-0002-0743-603X
  • Marly Lobato Maciel Terapeuta Ocupacional, Msc em Desenvolvimento e Meio Ambiente, Preceptora da Residência Multiprofissional de Terapia Ocupacional pela UEPA, Belém-PA, Brasil https://orcid.org/0000-0002-2349-7692
  • Karla Maria Siqueira Coelho Aita Terapeuta Ocupacional, Msc. em psicologia Clínica e Social, Professora do DETO UEPA, Belém-PA, Brasil https://orcid.org/0000-0001-8707-2370
  • Victor Augusto Cavaleiro Corrêa Terapeuta Ocupacional, Dr. em Doenças Tropicais pelo Núcleo de Medicina Tropical, Docente da Faculdade de Fisioterapia e Terapia Ocupacional da Universidade Federal do Pará, Belém-Pa, Brasil https://orcid.org/0000-0003-0133-7927

Resumo

O tratamento hospitalar das crianças com cardiopatias produz cerceamento das suas atividades rotineiras como banho, alimentação, escolarização e ludicidade; tal cerceamento se agravou durante a pandemia da COVID-19. Os protocolos de
segurança do paciente e de biossegurança hospitalares que objetivam melhoria da qualidade das ações do cuidado e controle de infecção tendem a gerar uma realidade de anonimato, despersonalização, o que pode exacerbar a presença do temor relativo à dor e à ameaça de morte nos usuários e seus familiares. Os ambientes deste contexto que simbolizavam cuidados essenciais à vida agora passam a ser compreendidos, por parte da população, como o local de maior possibilidade de infecção pelo novo coronavírus. Este conjunto de fatores pode afetar a vida da criança cardiopata, diante da urgência da terapêutica hospitalar, influenciando negativamente na aceitação das intervenções realizadas neste contexto. Este artigo descreve a vivência sobre a atuação de uma residente de terapia ocupacional no programa em Atenção à Saúde Cardiovascular no contexto hospitalar durante a pandemia COVID-19, sobretudo no ano de 2020, em uma enfermaria pediátrica cardiológica. Trata-se de um estudo de caráter descritivo e cunho qualitativo do tipo relato de experiência profissional. Foi observado que a assistência e o cuidado às crianças e acompanhantes se tornaram restritos aos indivíduos que compartilhavam do mesmo ambiente de enfermaria e com os integrantes da equipe durante as intervenções. Diante disso, o terapeuta ocupacional se apresentou como o profissional habilitado para identificar rupturas no cotidiano, refletir e intervir em novas formas de atender às demandas ocupacionais e desenvolver recursos e
adaptações que correspondessem às necessidades de cada usuário.

Biografia do Autor

Jéssica Tainara de Macêdo Maia, Terapeuta Ocupacional, Residente em Atenção à Saúde Cardiovascular, Universidade do Estado do Pará-UEPA, Belém-PA

Terapeuta Ocupacional formada pela Universidade da Amazônia da turma de 2015 à 2018. Residente na Fundação Hospital de Clínicas Gaspar Vianna no programa de Atenção à Saúde Cardiovascular- UEPA. Neste período, enquanto residente teve experiência profissional com público neonatal, pediátrico, adultos e idosos internados em enfermarias e Unidades de Terapia Intensiva. Durante a graduação foi Monitora de Neurofisiologia Humana, pela UNAMA no ano de 2016; Participou de estágios extracurriculares em: Laboratório de Tecnologia Assistiva-UEPA/LABTA(2017/2018) e na Clínica ADAPTA, atuando com TEA (2018). Participou do Projeto de Extensão Vivência através da UNAMA, nas instituições: Clinica Escola Integrada da Universidade da Amazônia (2017), Espaço Multidisciplinar Especializado em Desenvolvimento Infantil- EMEDI (2017) e Unidade de Referência Materno Infantil- UREMIA (2015).

Publicado

2022-01-18

Como Citar

Maia, J. T. de M., Folha, D. R. da S. C., Maciel, M. L., Aita, K. M. S. C., & Corrêa, V. A. C. (2022). Terapia ocupacional em uma clínica pediátrica cardiológica durante a pandemia de COVID-19: relato da experiência de uma residente. Cadernos Brasileiros De Terapia Ocupacional, 30, e2953. Recuperado de https://www.cadernosdeterapiaocupacional.ufscar.br/index.php/cadernos/article/view/2953

Edição

Seção

Relato de Experiência ou Estudo de Caso