Prevalência de ansiedade e depressão em trabalhadores da Atenção Primária à Saúde

Autores

Resumo

Introdução: A atualização da Política Nacional de Atenção Básica em Saúde, em 2017, trouxe importantes retrocessos para o sistema de saúde brasileiro, dificultando a atuação profissional e favorecendo o adoecimento psíquico dos trabalhadores. Objetivo: Avaliar a prevalência de ansiedade e depressão em trabalhadores da atenção primária à saúde. Método: Estudo transversal, realizado em 2017, em um município de grande porte do interior paulista. Foram avaliados 173 profissionais das equipes da Atenção Primária à Saúde, utilizando um questionário com variáveis sociodemográficas e profissionais; o Inventário de Ansiedade de Beck (BAI); e o Inventário de Depressão de Beck (BDI-II). Resultados: A ansiedade esteve presente em 45,3% dos profissionais, sendo 25,0% com ansiedade leve, 9,9% com ansiedade moderada e 10,5% com ansiedade grave. A depressão esteve presente 41,0% dos profissionais, sendo 28,9% com depressão leve e 12,1% com depressão moderada. Houve maior prevalência de ansiedade (17,3%) e de depressão (28,3%) entre Agentes Comunitários de Saúde e menor prevalência de ansiedade (1,2%) e de depressão (0,6%) entre médicos. Conclusão: Há uma prevalência elevada de ansiedade e depressão em profissionais da Atenção Primária em Saúde, especialmente em agentes comunitários de saúde. Os gestores municipais devem implementar medidas de atenção à saúde dos trabalhadores, bem como garantir condições de trabalho favoráveis, para evitar o adoecimento dos profissionais.

Biografia do Autor

Rayara de Souza Julio, Universidade Federal do Rio Grande – FURG, Rio Grande do Sul, RS, Brasil.

Psicólogia, Mestre em Enfermagem e Saúde, Universidade Federal do Rio Grande

Luciano Garcia Lourenção, Universidade Federal do Rio Grande – FURG, Rio Grande do Sul, RS, Brasil.

Enfermeiro, Doutor em Ciências da Saúde. Professor Titular-Livre na Escola de Enfermagem e Programa de Pós-graduação em Enfermagem, Universidade Federal do Rio Grande - EEnf/FURG.

Stella Minasi de Oliveira, Universidade Federal do Rio Grande – FURG, Rio Grande do Sul, RS, Brasil.

Enfermeira, Doutora em Enfermagem e Saúde, Docente da Escola de Enfermagem e do Programa de Pós-graduação em Enfermagem, Universidade Federal do Rio Grande - EEnf/FURG.

Doris Helena Ribeiro Farias, Universidade Federal do Rio Grande – FURG, Rio Grande do Sul, RS, Brasil.

Enfermeira, Doutora em Enfermagem e Saúde.

Cláudia Eli Gazetta, Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto – FAMERP, São José do Rio Preto, SP, Brasil.

Enfermeira, Doutora em Enfermagem em Saúde Pública. Docente do Departamento de Enfermagem em Saúde Coletiva e Orientação Profissional, Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto

Publicado

2022-02-19

Como Citar

Julio, R. de S., Lourenção, L. G., Oliveira, S. M. de, Farias, D. H. R., & Gazetta, C. E. (2022). Prevalência de ansiedade e depressão em trabalhadores da Atenção Primária à Saúde. Cadernos Brasileiros De Terapia Ocupacional, 30, e2997. Recuperado de https://www.cadernosdeterapiaocupacional.ufscar.br/index.php/cadernos/article/view/2997

Edição

Seção

Artigo Original