Percepção dos pais sobre hipersensibilidade auditiva de crianças com sinais clínicos de risco para o Transtorno do Espectro do Autismo

Autores

Resumo

Objetivo: Averiguar a ocorrência e o tipo de hipersensibilidade auditiva em crianças com sinais clínicos de Transtorno do Espectro do Autismo por meio do relato dos pais no contexto da pandemia da COVID-19. Método: Trata-se de um estudo transversal e descritivo, composto por pais de 11 crianças com sinais clínicos de risco para Transtorno do Espectro do Autismo. As crianças eram de ambos os sexos, com média de 44,8 meses de idade. Os pais responderam, por meio de contato telefônico, a um questionário, previamente validado, sobre comportamentos de hipersensibilidade auditiva de seus filhos. Foi considerado como sinalizador de hipersensibilidade a pontuação igual ou superior a oito pontos no escore geral. Resultados: 63,6% das crianças apresentaram resultado indicativo de hipersensibilidade e 54,5% obtiveram pontuação máxima nas questões relacionadas à irritabilidade a sons específicos. Os sons citados como geradores de irritabilidade foram: palmas, fogos, gritos, ferramentas de construção, canto e toque de celular. Conclusão:Constatou-se ocorrência de hipersensibilidade auditiva, especialmente relacionada à irritabilidade, o que sugere relação com o sistema límbico e, portanto, pode remeter à misofonia. Assim, torna-se importante a equipe multidisciplinar atentar-se à ocorrência e a características de hipersensibilidade dessa população, a fim de maximizar condições favoráveis à reabilitação.

Publicado

2022-04-07

Como Citar

Costa, K. T. L. da, Giacchini, V., Cáceres-Assenço, A. M., & Araújo, E. S. (2022). Percepção dos pais sobre hipersensibilidade auditiva de crianças com sinais clínicos de risco para o Transtorno do Espectro do Autismo. Cadernos Brasileiros De Terapia Ocupacional, 30, e3038. Recuperado de https://www.cadernosdeterapiaocupacional.ufscar.br/index.php/cadernos/article/view/3038

Edição

Seção

Artigo Original