Repercussões ocupacionais em pessoas com doença renal crônica terminal que fazem hemodiálise: um marco na justiça ocupacional

Autores

Resumo

Objetivo:Conhecer as repercussões ocupacionais do tratamento hemodialítico em pessoas com Doença Renal Crônica Terminal e como as políticas públicas no Chile, especificamente as Garantias Explícitas de Saúde atendem às necessidades dessa população. Método: Foram utilizadas diretrizes de observação ambiental, notas de campo, entrevistas semiestruturadas com usuários, usuários e profissionais que atuam na Unidade de Hemodiálise do Hospital Base de Valdívia, Chile. Além disso, foi realizada uma análise documental que incluiu diretrizes clínicas e normas técnicas da Unidade de Hemodiálise. Resultados: Os dados foram organizados em 5 tópicos: Unidade de hemodiálise da Base Hospitalar Valdívia, Processo de mudança e adaptação, Rotinas e hábitos, Papéis e Suficiência das políticas públicas. São evidenciadas quebras nas histórias ocupacionais, dificuldades no processo de adaptação e a necessidade de uma abordagem abrangente que não é contemplada pelas políticas públicas. Conclusão: Propõe-se a necessidade de um tratamento multiprofissional que considere um acompanhamento no processo de adaptação ocupacional, principalmente nas fases iniciais após o diagnóstico, a fim de prevenir o impacto na qualidade de vida desta população, bem como a necessidade de desenvolver mais estudos sobre o assunto.

Publicado

2022-06-21

Como Citar

Cárdenas-Cárdenas, N., Miranda-Catalan, M. I., Obando-Conejeros, C., Rosales-González, J., & Carrasco-Madariaga, J. (2022). Repercussões ocupacionais em pessoas com doença renal crônica terminal que fazem hemodiálise: um marco na justiça ocupacional. Cadernos Brasileiros De Terapia Ocupacional, 30(spe), e3083. Recuperado de https://www.cadernosdeterapiaocupacional.ufscar.br/index.php/cadernos/article/view/3083

Edição

Seção

Artigo Original