Terapia ocupacional e redes intersetoriais: conceitos e experiências em debate

Autores

Resumo

A formação de redes como estratégia de ação técnica tem se caracterizado como uma temática amplamente defendida no bojo das políticas sociais, as quais são historicamente organizadas em setores e precisam ter suas atuações reorganizadas em vista das cada vez mais complexas demandas sociais. O trabalho em rede é compreendido como um recurso de enfrentamento à questão social e suas consequências, e como ferramenta para efetivação de propostas de intervenção junto à população assistida. A terapia ocupacional pode utilizar da criação e/ou fortalecimento das redes sociais como processos que buscam garantir maior autonomia e inserção social a pessoas ou grupos que vivenciam processos de ruptura em suas vidas. Objetivou-se investigar a estratégia de articulação intersetorial entre os serviços que compõem as políticas sociais em Campinas - SP como possível ferramenta de suporte, enfocando a atuação de terapeutas ocupacionais. Como método, 13 coordenadores distritais das áreas de assistência social, educação e saúde foram entrevistadas e 17 das 36 terapeutas ocupacionais (47%) que atuam na rede municipal responderam a um questionário. Além disso, observou-se duas redes institucionais por quatro meses. Por fim, nove terapeutas ocupacionais participaram de um encontro presencial para discutir sua experiência e papel nas redes. Aqui analisam-se os dados dos questionários e grupo com as profissionais. Conclui-se que, considerando a centralidade da (re)inserção social como objetivo da terapia ocupacional, somada a características como disponibilidade e flexibilidade, o fomento de redes intersetoriais é integrado ao seu trabalho; contudo, essa não pode ser considerada uma ação profissional específica ou exclusiva.

Publicado

2022-10-03

Como Citar

Avelar, M. R., & Malfitano, A. P. S. (2022). Terapia ocupacional e redes intersetoriais: conceitos e experiências em debate. Cadernos Brasileiros De Terapia Ocupacional, 30, e3236. Recuperado de https://www.cadernosdeterapiaocupacional.ufscar.br/index.php/cadernos/article/view/3236

Edição

Seção

Artigo Original