Terapeutas ocupacionais e seu papel docente: percepções de profissionais e estudantes universitarios

Autores

Resumo

Introdução: No Chile, os terapeutas ocupacionais exercem a função docente desde 1963, aumentando sua presença em instituições de ensino superior que incorporaram a terapia ocupacional em seus projetos educacionais. Objetivo: Descrever as percepções de terapeutas ocupacionais e dos estudantes sobre o processo de aquisição e participação no papel docente na região metropolitana do Chile. Método: Pesquisa qualitativa com desenho exploratório-descritivo em que foram entrevistados professores e alunos de terapia ocupacional, no formato online, selecionados de forma não probabilística. Participaram 13 pessoas, cujas respostas foram analisadas em tabelas de codificação seletiva e categorizadas em 8 subcategorias. Resultados: A motivação para transmitir os valores da profissão e as experiências ao ensinar são os principais fatores que os profissionais consideram para manter o seu papel docente nas universidades. Além disso, evidenciou-se a existência de desequilíbrio ocupacional nas áreas de participação social, descanso e sono dentro dos hábitos rotineiros dos profissionais que se somam à precarização do trabalho e da remuneração na função docente. Conclusão: Os professores de cursos de graduação em terapia ocupacional devem facilitar os processos de exploração de possibilidades, motivando o desenvolvimento de competências e validando as conquistas nos processos de aprendizagem da nova geração de alunos, tanto no formato presencial como a distância

Publicado

2023-01-02

Como Citar

Castillo, J. I. M. (2023). Terapeutas ocupacionais e seu papel docente: percepções de profissionais e estudantes universitarios. Cadernos Brasileiros De Terapia Ocupacional, 31, e3292. Recuperado de https://www.cadernosdeterapiaocupacional.ufscar.br/index.php/cadernos/article/view/3292

Edição

Seção

Artigo Original