O processo de adaptação e desempenho ocupacional de mães de crianças no transtorno do espectro autista

Autores

Resumo

Introdução: A adaptação a um filho no Transtorno do Espectro do Autismo (TEA) pode impactar o desempenho ocupacional das mães em razão dos cuidados demandados, que podem dificultar a realização das suas ocupações. Objetivo: Investigar a adaptação e o desempenho ocupacional das mães de filhos com TEA. Método: Estudo descritivo transversal de abordagem quantiqualitativa com 11 mães de filhos no TEA com idade entre 2 e 9 anos. Os dados foram coletados por meio da Escala Parental de Adaptação à Deficiência (EPAD) e da Medida Canadense de Desempenho Ocupacional (COPM). Os dados da EPAD foram analisados pela soma dos escores de cada participante e cálculo da média geral e os da COPM a partir dos valores atribuídos para o desempenho e satisfação. Resultados: As mães estavam em adaptadas a seus filhos; entretanto, avaliaram a presença de problemas funcionais para o desempenho ocupacional após o nascimento deles. Problemas na categoria produtividade, especificamente para trabalhar, por conta das demandas de cuidados com o filho, foram referidos pela maioria das mães. Na categoria autocuidado, algumas mães referiram problemas para ir ao salão de beleza e tomar banho. Na categoria lazer, algumas mães indicaram problemas para realizar leitura, atividade física, viajar e/ou visitar amigos. Conclusão: As mães deste estudo demostraram que a adaptação a seus filhos envolve fatores como transmissão do diagnóstico, informação, características dos filhos, condições socioeconômicas, resiliência, crenças e expectativas pessoais. Conclui-se que as mães de filhos no TEA investigadas apresentaram problemas funcionais para o desempenho ocupacional após o nascimento desses filhos.

Publicado

2023-01-06

Como Citar

Roiz, R. G., & Figueiredo, M. de O. (2023). O processo de adaptação e desempenho ocupacional de mães de crianças no transtorno do espectro autista. Cadernos Brasileiros De Terapia Ocupacional, 31, e3304. Recuperado de https://www.cadernosdeterapiaocupacional.ufscar.br/index.php/cadernos/article/view/3304

Edição

Seção

Artigo Original