O cenário da inserção dos terapeutas ocupacionais no Sistema Único de Assistência Social: registros oficiais sobre o nosso percurso/Occupational therapists inclusion in the ‘Sistema Único de Assistência Social’ (Brazilian Social Police System): official records on our route

Autores

  • Marina Leandrini Oliveira Universidade Federal do Triângulo Mineiro - UFTM. Uberaba, Minas Gerais, Brasil. Programa de Pós-Graduação em Terapia Ocupacional da Universidade Federal de São Carlos - PPGTO/UFSCar
  • Roberta Justel do Pinho Prefeitura Municipal de São Carlos, São Carlos, São Paulo, Brasil. Programa de Pós-Graduação em Terapia Ocupacional da Universidade Federal de São Carlos - PPGTO/UFSCar
  • Ana Paula Serrata Malfitano Universidade Federal de São Carlos – UFSCar. São Carlos, São Paulo, Brasil. Programa de Pós-Graduação em Terapia Ocupacional. Departamento de Terapia Ocupacional.

DOI:

https://doi.org/10.4322/2526-8910.ctoAO1742

Resumo

Introdução: Embora a assistência social seja um campo de atuação histórico do terapeuta ocupacional no país, somente em 2011 a profissão foi reconhecida como uma das categorias profissionais habilitadas a atuar nas equipes de referência e/ou gestão dos serviços socioassistenciais do Sistema Único de Assistência Social (SUAS). Assim, é relevante identificar e compreender as características dessa inserção, contextualizada na atuação desse profissional nas políticas sociais. Objetivo: Descrever e caracterizar a inserção de terapeutas ocupacionais no SUAS, no período 2011-2016, com base em dados oficiais. Método: Trata-se de estudo descritivo realizado a partir de dados secundários obtidos pelo Censo SUAS. Os dados foram extraídos selecionando a categoria terapeutas ocupacionais e as respectivas variáveis disponíveis no levantamento. Realizou-se análise descritiva por frequência simples. Resultados: Em 2016 havia 1.323 terapeutas ocupacionais oficialmente registrados como atuantes nos diferentes serviços do SUAS. Entre 2011-2016 identificou-se características predominantes homogêneas dos profissionais em relação à região de maior prevalência (sudeste), carga horária de trabalho (20 a 30 horas/semana), gênero (feminino) e função exercida (componente da equipe técnica). Ressalta-se, porém, variação do vínculo empregatício entre as diferentes unidades socioassistenciais (entre servidores estatutários e celetista do setor privado). Conclusão: Constatou-se um aumento de terapeutas ocupacionais atuando na assistência social, requerendo contínua organização da profissão para atender tal demanda. É imperativo demonstrar a capacidade técnico-profissional nestes espaços, além de abarcar uma formação acadêmica adequada para atuação neste contexto.

Biografia do Autor

Marina Leandrini Oliveira, Universidade Federal do Triângulo Mineiro - UFTM. Uberaba, Minas Gerais, Brasil. Programa de Pós-Graduação em Terapia Ocupacional da Universidade Federal de São Carlos - PPGTO/UFSCar

Doutoranda pelo Programa de Pós-Graduação em Terapia Ocupacional da Universidade Federal de São Carlos – UFSCar. Docente na Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM) Uberaba, Minas Gerais, Brasil. 

 

Roberta Justel do Pinho, Prefeitura Municipal de São Carlos, São Carlos, São Paulo, Brasil. Programa de Pós-Graduação em Terapia Ocupacional da Universidade Federal de São Carlos - PPGTO/UFSCar

Doutoranda pelo Programa de Pós-Graduação em Terapia Ocupacional da Universidade Federal de São Carlos – UFSCar. Terapeuta Ocupacional na Prefeitura Municipal de São Carlos, São Carlos, São Paulo, Brasil. 

Ana Paula Serrata Malfitano, Universidade Federal de São Carlos – UFSCar. São Carlos, São Paulo, Brasil. Programa de Pós-Graduação em Terapia Ocupacional. Departamento de Terapia Ocupacional.

Doutora. Docente do Programa de Pós-Graduação em Terapia Ocupacional e do Departamento de Terapia Ocupacional da Universidade Federal de São Carlos – UFSCar. São Carlos, São Paulo, Brasil.

Publicado

2019-12-10

Como Citar

Oliveira, M. L., Pinho, R. J. do, & Malfitano, A. P. S. (2019). O cenário da inserção dos terapeutas ocupacionais no Sistema Único de Assistência Social: registros oficiais sobre o nosso percurso/Occupational therapists inclusion in the ‘Sistema Único de Assistência Social’ (Brazilian Social Police System): official records on our route. Cadernos Brasileiros De Terapia Ocupacional, 27(4), 828–842. https://doi.org/10.4322/2526-8910.ctoAO1742

Edição

Seção

Artigo Original